28/07/2010 | 23:07 [voltar]
Grupo Severiano Ribeiro anuncia fechamento de salas
Rute Guedes - O Popular
Ampliar foto

Esta quinta-feira (29) é o último dia de funcionamento dos cinemas Severiano Ribeiro no Shopping Flamboyant, onde operam oito salas. “O cinema do Flamboyant tinha um formato antigo e sua localização dentro do shopping não permitia modernização. Diante disso e do pedido de devolução do ponto, a empresa optou por encerrar as atividades no local”, informou a assessoria de imprensa do grupo em comunicado ao POPULAR.

 “O grupo vai continuar com a operação normal das salas do Goiânia Shopping e no momento não tem outro projeto para a região”, informa o texto enviado pela assessoria do Severiano Ribeiro.

Segundo João Ricardo Gusmão Ladeia, gerente comercial do Shopping Flamboyant, o motivo principal para a saída do Severiano Ribeiro do centro de compras é de ordem estrutural. Como o conjunto de oito salas está instalado no térreo, é praticamente impossível aumentar o pé-direito e, em consequência, ficam inviáveis reformas para a construção em estilo stadium (o modelo mais utilizado pelos cinemas atualmente).

“Temos os cinemas Cinemark, com estrutura bem mais moderna. Não acredito que o fechamento das outras salas vá prejudicar nosso público: oito salas bem equipadas dão para atender bem a nossa clientela”, aponta o gerente.

Por enquanto, João Ricardo disse que não há nada definido para a área que ficará vaga com a saída dos cinemas Severiano Ribeiro, cerca de 2 mil metros quadrados, que foram abertos ao público em 1996, na época da primeira expansão do shopping. “Dificilmente vai ter um novo cinema ali, pelas próprias condições físicas da área. Nem mesmo a destinação, se para lazer ou para loja, foi definida ainda. Isso ainda está sendo estudado”, concluiu.

Inaugurado em dezembro de 1996, o multiplex do Severiano Ribeiro do Shopping Flamboyant conta com oito salas, disponilizando ao público um total de 1395 lugares. A programação era destinada a grande lançamentos comerciais, a maioria de Hollywood e, em número bem menor, a produções brasileiras, com poucas exceções. Filmes considerados alternativos, como acontece em quase todo o sistema de cinemas em multiplex, costumam ser ainda mais raros, mas oito salas a menos podem significar menos opções para o público interessado em mais diversidade.

Salas
Com o fechamento deste multiplex, Goiânia ficará com 43 salas, a maior parte localizada em shoppings. O Shopping Flamboyant mantém as oito salas do Grupo Cinemark no terceiro piso do prédio, o Goiânia Shopping, no Setor Bueno, continua com seis salas, e o Buriti Shopping, na divisa de Goiânia com Aparecida, também oferece seis salas.

O grupo Lumière está espalhado em três regiões estratégicas: a mais antiga é o Bougainville, no Setor Marista, onde funcionam cinco salas, com metade da programação voltada para o chamado circuito de arte e a outra para o cinema comercial convencional.

No Terminal Rodoviário de Goiânia (Shopping Araguaia), o Lumière tem cinco salas e no Portal Shopping o grupo mantém três salas. O Centro da cidade tem cinco salas no Banana Shopping (Av. Araguaia) e também o Cine Ritz, na Rua 8, com duas salas. O poder público mantém dois cinemas na região central: o mais antigo é o Cine Cultura, unidade da Agência Goiana de Cultura Pedro Ludovico (governo estadual), e o Cine Ouro, da Secretaria Municipal de Cultura. A Universidade Federal de Goiás abriu há três anos o Cine UFG, no Campus 2.

As três salas têm programação voltada exclusivamente para o cinema clássico, alternativo ou direcionado para a produção regional. Estava previsto no projeto do Centro Cultural Oscar Niemeyer a inauguração de duas salas de cinema, mas até hoje o complexo cultural ainda não foi entregue efetivamente ao público.

Envie este texto para um amigo